COLUNAS



POLITICAGEM

com


Kim Rafael


Avatar Kim Rafael
Voto impresso: uma causa ou consequência?





O TSE prevê que a impressão dos votos nas eleições brasileiras teria um custo de R$ 2,5 bilhões aos cofres públicos ao longo de dez anos. Os defensores da medida dizem que o custo seria menor, de cerca de R$ 250 milhões.[1]
 
Mas acredite, o custo de um desgoverno é muito mais alto do que a quantia mencionada, basta analisarmos a história entre 2002 a 2015. O qual o governo corrupto estuprou o Brasil.
 
O voto impresso permitirá uma garantia aos brasileiros.
 
Acredita-se que os demagogos estão com medo, agora, não se sabe realmente, se estão com medo de um novo resultado inesperado, ou só porque o presidente Bolsonaro veementemente vem defendendo essa pauta, ou seja, apenas por contrariedade.
 
A PEC do voto auditável é uma das bandeiras do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que, em diversas ocasiões, vem declarando que as urnas eletrônicas são suscetíveis a fraudes e insinuando que não venceu as eleições de 2018 já no primeiro turno por conta de problemas nas urnas eletrônicas.[2]
 
Pegando como exemplo o voto sendo ignorado, a cidade de Maringá, a cidade recentemente eleita a melhor de se viver no Brasil, alimentou a desesperança já que houve mais de 80 mil em abstenções[3], agora, não se sabe se ocorreu de fato pela desesperança, pela pandemia ou a ausência de confiabilidade das urnas eletrônicas.
 
Em suma, as mudanças estão acontecendo, com ou sem voto auditável. Obvio que existe fraude, compra de votos em muitos locais, mas analisando o contexto nacional, como um todo... consigo identificar a mudança acontecendo na sociedade através do voto.
 
Agora, o que mudaria ainda mais, é se implantássemos o voto impresso. Para minimizar polêmicas de fraude e dar muito mais seguridade à população eleitora.
 
Só a título de comparação, o Japão, sendo a 3ª maior economia do mundo, um país muito avançado na área de tecnologia, ainda adota o sistema de urna comum, com o uso de cédula de papel para a contabilização de voto.
 
Se o Japão que é o país da tecnologia, não usa equipamento eletrônico, porque o Brasil que é um país subdesenvolvido, tanto social quanto tecnológico é usuário deste meio... se há uma desconfiança em usar a urna eletrônica, porque temos tanta certeza que é um meio seguro?
 
Vale o questionamento, e ainda, a frase a seguir de um autor desconhecido que narra muito bem o contexto do voto brasileiro:
 
“Não é a política que faz o candidato virar ladrão. É o seu voto que faz o ladrão virar político.”
 

[1] www.cnnbrasil.com...resso-auditavel
[2] www.gazetadopovo....presso-medieval/
[3] graficos.poder360.com.br/Hjrdh/5/

Sobre Kim Rafael

Colunista


Sobre a Coluna

POLITICAGEM



COMENTÁRIOS