SAÚDE

Encontrado novo tipo de coronavírus que pode passar de cachorros para humanos

Um novo vírus da família do coronavírus com potencial para infectar humanos foi encontrado. Um estudo publicado no periódico Clinical Infectious Diseases revela que o patógeno foi identificado em um grupo de oito pacientes internados com pneumonia na Malásia em 2018.

Os pesquisadores ressaltam, no entanto, que o novo vírus não possui potencial pandêmico como a Covid-19. Ainda faltam etapas da pesquisa com testes epidemiológicos para confirmar a descoberta do CCoV-HuPn-2018.

O estudo explica que esse novo tipo de coronavírus deve ter passado de animais para humanos. Entre os infectados estudados, estão sete crianças que viviam na zona rural de Sarawak, na Ilha de Bornéu, em contato diário com animais selvagens e domésticos, o que pode ter contribuído para a infecção.

Novo tipo de coronavírus

Em 2018, quando os primeiros exames foram feitos, o patógeno foi detectado também em cães e gatos. O novo vírus tem características genéticas em comum com outros três tipos de coronavírus, sendo dois desses presentes em cachorros e um em felinos. Isso deve explicar inclusive a natureza do CCoV-HuPn-2018, que pode ter sido forçado a partir da combinação dos patógenos.

As amostras foram entregues para a professora Anastasia Vlasova, da Faculdade de Ciências Alimentares, Agrícolas e Ambientais (CFAES) da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos. A docente iniciou os estudos e passou a conduzir a pesquisa junto com o professor Gregory C. Gray, da Duke University School of Medicine, nos EUA, e Teck-Hock Toh, da Universidade SEGi, na Malásia.

Se confirmado, esse seria o primeiro tipo de coronavírus vindo de cães ou gatos capaz de contaminar humanos. Além do Sars-CoV-2, outras seis linhagens do vírus podem contaminar humanos. No entanto, como é de uma categoria alfa, o vírus não tem potencial pandêmico, segundo os pesquisadores.

Os vírus mais perigosos da família estão na categoria beta, como o Mers-CoV, o Sars-CoV-1 e claro, o Sars-CoV-2. Todos os oito paciente identificados com a doença foram tratados e se recuperaram. De acordo com os especialistas, a principal vantagem em identificar esse tipo de patógeno é evitar futuras pandemias. "Precisamos realizar esse trabalho de descoberta de vírus entre pessoas com pneumonia e também entre pessoas que têm exposição intensa a animais para que tenhamos um alerta precoce de novos vírus com potencial de se tornarem pandêmicos no futuro", disse o professor Gregory C. Gray.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM