GERAL

Paulo Coelho volta a detonar o Governo Bolsonaro: “Bolsonaro não é o Brasil”

Paulo Coelho usou novamente as suas redes sociais para tecer críticas contra o Governo Bolsonaro. Crítico do presidente, o escritor afirmou que a identidade do Brasil não está atrelada a do chefe do Executivo.

“Aos meus 15,4 milhões de seguidores: Brasil não é o Bolsonaro. Bolsonaro não é o Brasil”, disparou o famoso em postagem, feita nesta terça-feira (12). Em outras ocasiões, o escritor também detonou o político.

Em julho, Paulo Coelho revelou que ele e a sua esposa, a artista plástica Christina Oiticica, se ofereceram para cobrir os gastos do festival de jazz da Bahia. O evento, cabe ressaltar, foi reprovado pela Funarte de ter apoio da Lei Rouanet.

O escritor postou uma foto ao lado da mulher, com quem tem uma fundação, para comunicar que se dispõem a arcar com o valor.

“Fundação Coelho & Oiticica se oferece para cobrir os gastos do Festival do Capão, solicitados via Lei Rouanet (R$ 145,000). Entrem em contato via DM pedindo a alguém que sigo aqui que me transmita. Única condição: que seja antifascista e pela democracia”, declarou o famoso em post.

Coelho fez referência ao post feito pelo Festival de Jazz do Capão, em junho de 2020, que teria causado a reprovação da Funart. No ano passado, o evento postou em página de rede social ser um “festival antifascista e pela democracia”. “Não podemos aceitar o fascismo, o racismo e nenhuma forma de opressão e preconceito”, dizia o post.

Antes disso, ele detonou o presidente durante o evento A Erosão da Liberdade de Expressão no Brasil, organizado pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e a Comissão Arns pela defesa dos direitos humanos.

“Ganhar e perder faz parte da vida, mas ameaçar como ele tem ameaçado, questionando as eleições, por exemplo, é um sinal de fraqueza total. A fraqueza de alguém que sabe que está sozinho”, disparou o escritor, segundo informações do UOL.

O famoso ainda afirmou: “Bolsonaro só gosta de pessoas que dão notícias boas. Isso me lembra uma história famosa, a história da roupa nova do rei. Dois costureiros chegaram ao palácio e disseram: vamos fazer as roupas mais lindas do mundo com tecido invisível. E o rei desfilou nu pela cidade”.

“Eu acho que o Bolsonaro é um pouco assim. Ele está nu, ele está gritando. Quando as pessoas começam a gritar, sabemos que as coisas estão ruins. A pessoa que fala calmamente é mais perigosa, mas o Bolsonaro está assustado”, completou Coelho.

 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM