ECONOMIA

Petrobras pode reduzir preço dos combustíveis

A Ativa Investimentos atualizou a estimativa de defasagem do preço da gasolina doméstica para a internacional e os modelos aponta que há um potencial baixista no preço brasileiro, de -5%, e por isso, a corretora acredita que é possível que a Petrobras promova uma redução no preço dos combustíveis nos próximos dias.

"O potencial baixista é fruto da queda no preço do barril de petróleo internacional, sendo negociado próximo aos US$70 dólares nesta quinta. Em geral, o mercado e diversas commodities reagiram a incerteza trazida pela nova variante Ômicron com o temor de possíveis novas restrições de mobilidade e queda de demanda", explicou Guilherme Sousa, economista da Ativa Investimentos, em nota.

Por outro lado, o economista-chefe da corretora, Étore Sanchez, lembra que o câmbio está cotado em R$S/U$S 5,68, puxado principalmente pelos diversos descalabros fiscais no âmbito doméstico. Ou seja, se ao menos continuasse estável nos últimos dias, o potencial de redução seria ainda maior.

"Adicionalmente, hoje teremos uma reunião da OPEP+ para decidir a produção coletiva. Apesar da incerteza quanto à ação do cartel, bem como sua avaliação sobre o Ômicron, avalio que o que tem mais peso na reunião é a pretensão de diversas nações de usar a reserva estratégica. Com recursos finitos por parte das nações, incluindo os EUA, a estratégia dominante é acelerar esse processo. Ou seja, os desdobramentos da reunião podem trazer um viés baixista ao preço do barril de petróleo", comentou Sanchez.

DECISÃO DA OPEP

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados concordaram em continuar a aumentar sua produção em 400 mil barris por dia (bpd) em janeiro, mesmo depois do surgimento da variante Ômicron, em decisão tomada a pouco.

"A decisão acaba sendo um ponto de equilíbrio entre os interesses dos membros do bloco, as novas ameaças causadas pela pandemia e a intenção de alguns países coordenados pelos EUA em liberar os estoques e arrefecer os preços internacionais da commodity. Após a decisão, os futuros do Brent, que chegaram a atingir U$D 65,72, retomaram o patamar de U$D 68 e as ações correlatas, como Petrobras (PETR4) e Petrorio (PRIO3) também absorveram a informação de maneira positiva", comentou a Ativa, em nota divulgada após a decisão da Opep.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ECONOMIA  |   25/01/2022 20h25





ECONOMIA  |   24/01/2022 20h33


ECONOMIA  |   22/01/2022 16h50