ECONOMIA

Diem: criptomoeda do Facebook está chegando ao fim


Anthony Quintano/Wikimedia Commons

Parece que um mundo virtual projetado pelo Facebook, hoje Meta, está desmoronando: o das criptomoedas. Planejada há mais de dois anos pelo próprio Mark Zuckerberg, que chegou a comparecer perante o Congresso norte-americano para defender a ideia, a libra parece estar se desfazendo antes mesmo de existir de fato. A Bloomberg divulgou na terça-feira (25) que pressões regulatórias fizeram com que o projeto desandasse de vez.

De acordo com a publicação, com base em informações de pessoas ligadas ao assunto, a Diem Association, uma iniciativa criada pelo Facebook para viabilizar a criação e operacionalização do token digital, está começando a vender os seus ativos, com a finalidade de devolver o capital aos seus membros investidores.

Segundo os informantes, que pediram para permanecer anônimos, a Bloomberg afirmou que, no momento, a Diem discute com bancos de investimento a melhor forma de se desfazer de sua propriedade intelectual, bem como encontrar um destino para os engenheiros que desenvolveram a ambiciosa tecnologia. A ideia é "limpar" qualquer resíduo de valor existente no empreendimento.

Quem interrompeu o projeto de criptomoedas de Mark Zuckerberg?

Já com o nome da futura criptomoeda mudado para diem, a associação fechou um acordo com a Silvergate Capital Corp., para emitir a cripto, projetada para ser atrelada ao dólar americano, moeda normalmente usada para comprar e vender ativos virtuais. Porém, o Federal Reserve, o Banco Central dos EUA, não foi tão receptivo à ideia e acabou por decretar o fim da diem, ao afirmar no verão passado que não permitiria tal atividade.

Sem um sinal verde do Federal Reserve, a Silvergate ficou na prática impossibilitada de emitir o novo ativo, pois se o fizesse, seria reprimida pelas autoridades monetárias. Ou seja, sem o seu lastro - o dólar americano - a diem seria uma moeda sem representatividade.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM