ECONOMIA

Afinal, o que é a taxa Selic?


Shutterstock

Você paga muitos boletos mensalmente, certo? Seja a fatura do cartão de crédito, do aluguel ou do condomínio, o fato é que todos os meses precisamos reservar uma boa parcela dos nossos rendimentos para os pagamentos dessas contas fixas. Afinal, não pagamos o boleto até o dia acordado previamente entre você a cobradora, a partir do dia seguinte alguns juros sobre o valor total poderão ser atribuídos.

Mas não são as instituições financeiras de cobrança quem determinam qual a porcentagem de juros será cobrada, mas sim o Banco Central (BCB), que desenvolveu uma série de regras para essa questão. A taxa Selic, por exemplo, certamente foi utilizada durante esse cálculo porque é ela quem determina a base dos juros na economia nacional.

A taxa Selic pode ser muito importante no cotidiano dos brasileiros. (Shutterstock/Reprodução)
Fonte: Shutterstock

Se você é uma daquelas pessoas que se sente um tanto perdida quando o assunto são taxas e juros, fique ligado em tudo o que abordaremos no texto abaixo!

O que é a taxa Selic?

Conforme já mencionado, essa é a taxa básica para o cálculo dos juros em nosso país. Inclusive, a Selic é uma sigla criada a partir dos termos: Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. Nesse sentido, trata-se de um sistema com inúmeras regras, metodologias e outros fatores que podem impactar bastante a economia do dia a dia.

Por ser uma taxa básica, ela serve para definir quais serão os juros cobrados em determinadas aplicações, como empréstimos, financiamentos, investimentos e também em boletos. Em linhas gerais, o sistema funciona virtualmente para negociação de títulos do Tesouro Nacional e apenas instituições financeiras, como o Banco Central, podem participar.

A taxa Selic hoje está em 11,75% ao ano e foi definida em 16 de março de 2022. (Shutterstock/Reprodução)
Fonte: Shutterstock

Dentro desse contexto, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) ficou responsável por realizar os cálculos da taxa Selic, reunindo-se a cada 45 dias para avaliar se o valor obtido pela última vez em grupo irá aumentar, diminuir ou ainda se manter. É válido destacar que, por tratar-se de algo muito impactante na economia, o BCB desenvolveu uma metodologia específica para a realização do seu cálculo.

Atualmente, a equação pode ser realizada de forma automática pelo sistema, gerando seu resultado. Trata-se de uma fórmula determinante que busca cruzar valores sobre fatores diários, financeiros e o número de operações de uma amostra. Assim, o Copom pode analisar o cenário econômico e definir a taxa para aquele período.

Porque a taxa Selic é importante?

De forma resumida, a taxa Selic é importante para o controle da inflação. Quando criada, no final dos anos 1970, o Brasil vivia um período que ficou conhecido como hiperinflação, no qual, diariamente, os preços dos produtos sofriam grandes alterações.

Dessa forma, com a taxa de juros controlada em alguma medida, seria mais fácil determinar a alta ou queda da inflação, que consiste no aumento dos preços em produtos e serviços no território nacional.


Pensando nos tempos atuais, caso o Copom visualize um cenário em que economia precisa ser desacelerada, certamente, a taxa Selic irá aumentar, pois isso pode impedir a inflação de continuar subindo. Na prática, basta pensar que, quando os juros estão maiores, há um desestímulo ao consumo.

Contudo, se a economia precisa de um impulso, a taxa sofrerá alguma queda, pois o objetivo será de aquecê-la, aumentando o consumo e, consequentemente, a inflação.


 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM