TECNOLOGIA

Desenvolvedor Mobile Pleno: saiba o salário desse profissional em 2022


Amith Nair/Unsplash

Ingressar na área de tecnologia e se especializar como desenvolvedor mobile no Brasil pode ser bem gratificante, já que o país é o terceiro em um ranking mundial onde as pessoas mais usam smartphones.

O mercado de trabalho está aquecido, mas não há mão de obra qualificada para preenchê-lo, principalmente para cargos que demandam mais experiência, como é o caso do desenvolvedor mobile pleno. Quer saber mais sobre essa carreira? Então confira mais detalhes!

Sobre a área

Para atuar como desenvolvedor (ou dev, no abreviado) mobile, é preciso focar os estudos e atuações na área de desenvolvimento de dispositivos móveis, sejam eles tablet, celulares, entre outros.

A tarefa desse profissional é programar, criar códigos, testar, fazer a manutenção e corrigir problemas nas versões da aplicação. Para chegar ao nível pleno da carreira, o desenvolvedor mobile precisa de um bom embasamento teórico acrescidos de experiência mínima entre 3 e 5 anos - o tempo pode variar de acordo com a complexidade dos projetos no portfólio.

Com essa bagagem, ele será capaz de atender demandas, tomar decisões estratégicas e conversar com o cliente, mas ainda ficará sob supervisão de um sênior ou um coordenador de tecnologia.

Perfil profissional

No mercado de trabalho, os recrutadores têm observado dois níveis de habilidades para saber se um candidato se encaixa em uma vaga: as soft skills e as hard skills. Veja a diferença de cada uma:

Hard skill: é a habilidade técnica, ou seja, aquela que você pode aprender em uma sala de aula com exercícios em apostilas. Por exemplo: saber a linguagem de programação Java é uma hard skill.
Soft skill: são competências ligadas a aspectos comportamentais e de relacionamento com outras pessoas. Por exemplo: a resolução de conflitos no ambiente de trabalho é uma soft skill.

Dito isso, vamos separar as características de um dev mobile pleno nessas duas categorias. Confira abaixo:

Hard skills

conhecimentos nas linguagens de programação: Java (Android), Kotlin (Android) Objective-C (iOS), Swift (iOS), Flutter (Android e iOS);
noções de experiência do usuário (UX) e de interfaces voltadas para o usuário (UI);
compreensão de desenvolvimento de bancos de dados;
entendimento da língua inglesa, matemática e raciocínio lógico;
ciência sobre metodologias ágeis.

O desenvolvedor mobile não precisa ser especialista em temas como UX, UI e nem banco de dados, por exemplo. É interessante saber apenas os conceitos básicos, principalmente os que envolvem acessibilidade.

Soft skills

boa comunicação;
autogerenciamento;
capacidade de liderança e de trabalho em equipe;
flexibilidade;
organização;
cumprimento de prazos.

Se você não tem uma das características listadas, seja de soft skills, seja de hard skills, estude. Seja em livros, blogs, sites, cursos de especialização, canais do YouTube, entre outros, o que vale é ler, aprender e aprofundar o conhecimento.

O que estudar e como se qualificar

Assim como em outras carreiras da tecnologia da informação (TI), não é necessário estar efetivamente formado para exercer a profissão de desenvolvedor mobile - inclusive, muitos profissionais são recrutados ainda na faculdade. Mas fica o alerta: o diploma dá mais seriedade ao currículo.

Se o curso superior não for uma opção, apresentamos algumas dicas de assuntos para você se certificar, aprofundar e crescer no mercado de trabalho. Confira:

lógica de programação;
orientação a objetos;
ambiente de desenvolvimento;
Unified Modeling Language (UML).

Atenção: assistir aulas desses temas não é o suficiente, também é preciso investir nas soft skills e hard skills descritas anteriormente.

Salários

O salário de um developer que trabalha com dispositivos móveis depende de alguns aspectos, como: nível de senioridade, experiência anterior, porte da empresa e estado em que ela está.

Veja quanto ganha um desenvolvedor mobile pleno no Brasil em 2022:

Pequena empresa: cerca de R$3.200, sem contar benefícios;
Média empresa: cerca de R$4.200, sem contar benefícios;
Grande empresa: cerca de R$5.400, sem contar benefícios.

Vale ressaltar que esses valores são apenas referência. Há profissionais que chegam a receber até cerca de R$12.800 de acordo com as vivências, certificações e habilidades.

Por isso, se você quiser seguir carreira na área, vale a pena investir em bons cursos de especializações em desenvolvimento mobile - afinal, é um mercado de trabalho que está crescendo muito, principalmente no Brasil.

E você, já pensou em ser um desenvolvedor mobile? Conte para a gente nos comentários!




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






TECNOLOGIA  |   01/07/2022 09h43


TECNOLOGIA  |   29/06/2022 23h43