ESPORTES

F1, FIA e equipes se reunirão nesta semana para discutir soluções contra porpoising
Mas após choque entre Wolff e demais chefes de equipe, reunião será realizada com diretores técnicos


Fotógrafo:LAT Images

A intervenção da FIA para erradicar o porpoising dos carros de Fórmula 1 sob alegação de segurança dos pilotos, causou muita comoção durante o GP do Canadá. Agora FIA, F1 e equipes devem se reunir nesta semana para discutirem soluções para o fim da controvérsia das quicadas, segundo apurado pelo Motorsport.com.

Várias equipes se irritaram pelo momento do anúncio, e houve confusão entre o paddock sobre se as novas regras valeriam já para o fim de semana em Montreal.

Além disso, o modo como a FIA divulgou apenas uma diretiva técnica, em vez de formalmente mudar o regulamento, levantou discussões sobre um possível protesto caso a Mercedes fosse adiante no fim de semana com a segunda haste metálica de fixação.

O choque de opiniões pelo pitlane chegou a um ponto de ebulição na reunião de sábado dos chefes de equipe com o CEO da F1, Stefano Domenicali, quando Toto Wolff, da Mercedes, saiu furioso pelo que considerou um comportamento "lamentável" de colegas ao se juntarem contra ele.

Sem um consenso surgindo em Montreal, a FIA agora seguirá adiante com o assunto, quando o diretor técnico de categorias de monopostos, Nikolas Tombazis, se encontrar com os diretores técnicos das equipes nesta semana.

A expectativa é de que ao tirar as discussões do calor da competição permitirá uma abordagem mais calma na busca por soluções. Os tópicos da reunião devem envolver a análise dos dados coletados pela FIA sobre oscilações verticais no fim de semana em Montreal e se é factível ou não impor limites em algum momento no futuro.

A FIA também quer baixar informações das equipes sobre mudanças potenciais ao regulamento técnico de 2023, que pode dar mais espaço para a cura do porpoising a longo prazo. Isso pode levar a modificações aerodinâmicas, revisão dos sistemas de suspensão ou mesmo reverter a suspensão de ferramentas como amortecedores de massa.

Após um fim de semana de tensão, Wolff reconheceu que é importante que as equipes levem o assunto tão sério quanto necessário. Questionado pelo Motorsport.com se tem fé que a política pode ser deixada de lado na reunião dos diretores técnicos, disse:

"Acho que a manobra política que está rolando não considera o cerne desse assunto. No centro desse assunto está o fato de que, desde o começo da temporada, os pilotos vêm reclamando de dores ao guiarem esses carros: nas costas, visão turva, estamos falando sobre micro concussões, com o feedback surgindo tem todas as equipes".

"Isso é algo que precisamos atacar, independente da solução e o que pode ser feito tecnicamente para avançarmos. Precisamos estar cientes de que não estamos falando de cortar uma aleta que dá vantagem a uma equipe ou um difusor duplo. É nossa responsabilidade não levarmos isso de modo leviano".




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ESPORTES  |   04/07/2022 05h40





ESPORTES  |   03/07/2022 20h16