GERAL

Astrônomos encontram um novo sistema multiplanetário na vizinhança da Terra


MIT News, com a figura do satélite TESS, cortesia da NASA

A equipe de astrônomos do Massachusetts Institute of Technology (MIT), em colaboração com outros astrônomos ao redor do mundo, conseguiram identificar dois planetas rochosos orbitando ao redor da estrela HD 260655, em um sistema que está a apenas 33 anos-luz da Terra.

De acordo com os dados e as estimativas, os planetas são rochosos e possuem um tamanho aproximado ao da Terra. O planeta HD 260655b, é aproximadamente 1,2 vez maior, e tem o dobro da massa da Terra, e um pouco mais denso. Já o planeta HD 260655c, é 1,5 vez maior do que a Terra, tem o triplo de massa, e é menos denso do que nosso planeta.

O movimento de translação desses planetas é bastante rápido. Estima-se que o planeta HD 260655b realize sua órbita em apenas 2,8 dias, e que o planeta HD 260655c, realize a sua a cada 5,7 dias.

Imagem com ilustração dos planetas recém descobertos
Fonte: MIT News/NASA

Com órbitas bastante próximas à estrela, suas superfícies são muito quentes, com temperaturas de 710 K (aproximadamente 436°C), no planeta mais interno, e de 560 K (aproximadamente 286°C) para o planeta com órbita mais externa.

Graças a essas temperaturas, eles são considerados inabitáveis, e acredita-se ser muito difícil a presença de água líquida nesses corpos celestes. Mas os pesquisadores estão animados com a descoberta, e principalmente com a possibilidade de estudo desses novos mundos.

A inferência da existência desses planetas foi feita por Michelle Kunimoto, pós-doutoranda no Instituto Kavli de Astrofísica e Pesquisa Espacial do MIT. Ao analisar padrões de decaimento na luminosidade da estrela, Kunimoto pôde deduzir que havia astros circundando HD 260655.

A identificação oficial desses planetas, que foi realizada em tempo recorde, só foi possível graças à colaboração entre os pesquisadores dos observatórios do Havaí (Keck) e Espanha (Calar Alto), que forneceram os dados de seus equipamentos, para comparação e análise dos dados coletados pelo Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito (TESS, sigla em inglês).

O TESS pertence à Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA), e tem a missão liderada pelo MIT. Sua função é o reconhecimento e observação das estrelas mais próximas e brilhantes, e envio de informações sobre perturbações nos sinais de luz dessas estrelas.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM