MARINGÁ

Maringá descarta 1º caso suspeito de monkeypox; capacitação para diagnóstico precoce continua


Secretaria de Saúde/PMM

O primeiro caso suspeito de varíola dos macacos (monkeypox) registrado em Maringá, de uma mulher entre 20 e 30 anos, foi descartado após exames laboratoriais. O resultado negativo foi divulgado nesta segunda-feira, 18. Desde o início do mês, a Secretaria Municipal de Saúde está capacitando profissionais da área para a detecção e diagnóstico precoce da doença.

Mais de 200 médicos e enfermeiros das redes pública e privada já foram capacitados. Nesta terça-feira, 19, os treinamentos continuam na Diretoria de Capacitação, na Rua Piratininga, com a médica epidemiologista Jussara Titato. Participaram profissionais da saúde de Maringá e cidades da região.

Com a identificação precoce dos casos suspeitos, a Saúde realiza coleta de amostras e encaminha para o Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) para análise detalhada. Em Maringá, há dois casos suspeitos em investigação: um homem entre 30 e 40 anos, que apresentou sintomas compatíveis com a doença e foi atendido na UPA Zona Sul; e um homem entre 20 e 30 anos, que também apresentou sintomas e foi atendido na UPA Zona Norte. Ambos têm histórico de viagem, estão estáveis e em isolamento domiciliar, sendo monitorados pela equipe de saúde.

A varíola dos macacos é uma doença viral e a transmissão entre humanos ocorre principalmente por contato com lesões de pele de pessoas infectadas e por meio de gotículas respiratórias. Os sintomas envolvem lesões na pele, febre, dor de cabeça, dores musculares, calafrios e fadiga.

 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM