GERAL

Novo CAC impulsionará cultura em Maringá



As instalações reformadas e ampliadas do Centro de Ação Cultural (CAC - antiga biblioteca central, na avenida XV de Novembro) serão inauguradas hoje, 19, às 19 horas. E já geram grande expectativa ao acenar com novas propostas culturais. Prefeitura investiu R$ 3,7 milhões na recuperação de prédio de 2,2 mil metros quadrados que ficou fechado por quase dez anos. Reforma começou em abril de 2018. 

Todo o CAC foi pensado em facilitar a acessibilidade, com rampas, elevador, banheiros adaptados, placas em braile, climatização, iluminação, entre outros. Além da inauguração de hoje, a Secretaria de Cultura (Semuc) já trabalha no calendário para 2020. Edital de vagas será publicado na segunda semana de janeiro com oficinas começando em fevereiro. Serão 43 cursos com 1,1 mil vagas para alunos a partir dos 6 anos de idade.

Outras atividades como palestras, exposições, reuniões, ensaios e apresentações serão anunciadas em breve. A expectativa é aumentar o fluxo no novo CAC. Até o final de outubro desse ano foram quase 2 mil pessoas que passaram por 65 atividades na unidade temporária na avenida Paraná. 

HOMENAGENS - O novo CAC tem no térreo homenagens a dois personagens importantes na cultura maringaense, um do passado e outro contemporâneo. A sala Joubert de Carvalho tem o piano do compositor da música "Maringá". Instrumento do século XIX estava guardado num depósito, foi restaurado em Curitiba e será usado em apresentações no anfiteatro com capacidade para 80 pessoas. Já a sala Lukas é homenagem ao falecido quadrinhista Marcos Lukaszewigz. Ele morreu em agosto de 2011 e é o principal nome das artes gráficas maringaense. Agora nomeia espaço adequado para exposições artísticas, que era outra carência local. 

Obras otimizaram o espaço. Subsolo que não era mais utilizado virou sala de ensaios. Com aproximadamente 440 metros quadrados tem uma das laterais espelhadas e divisórias móveis para adequar espaço conforme atividade. O primeiro andar será para artes plásticas e visuais. E o segundo para música. Além de espaços exclusivos para artesanato, entre outras manifestações com atividades gratuitas. 

CINEMA - Um dos segmentos mais favorecidos será o audiovisual. Além de ter ganho esse ano um edital próprio com R$ 1 milhão para projetos locais, o CAC terá uma sala para a Casa do Cinema. Area no primeiro andar será utilizada para cursos, reuniões e outras atividades de diretores, atores e outros profissionais audiovisuais. Planejamento é fazer um curso ou workshop de audiovisual ao mês. 

O CAC existe desde 1976. Já o prédio foi inaugurado em novembro de 1975. Foi utilizado como Biblioteca Bento Munhoz da Rocha Neto. O edifício, agora chamado Luty Vicente Kasprowicz, em homenagem ao arquiteto que criou o projeto em 1975, está em processo de tombamento como patrimônio histórico de Maringá.

NOVO CAC:
• subsolo: sala de ensaios, dança, teatro e multiuso
• térreo: recepção, sala Joubert de Carvalho, sala de exposições Lukas
• primeiro andar: secretaria, Casa de Cinema, artes plásticas e visuais
• segundo andar: música



Galeria de Fotos:





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM