POLÍTICA

Deputado tem recurso negado pelo STF por propagar Fake News



O Deputado Estadual Homero Marchese, do partido Pros, foi condenado recentemente por produzir e publicar Fake News, durante seu período como vereador em Maringá de janeiro de 2017 à janeiro 2019

Em abril de 2018 o então vereador de meio mandato publicou em sua rede social montagens dizendo que a Rádio Jovem Pan, seus colunistas e diretores teriam sido condenados pela justiça a pagar indenização por danos morais, sendo comprovado absolutamente mentiroso em decisão judicial onde tanto a emissora, como seus jornalistas, colunistas e diretores foram absolvidos de todas as mentirosas acusações feitas pelo parlamentar em sua petição judicial.
 
O Portal O Jiló veiculou em outubro de 2019 que a Justiça condenou o deputado e ex-vereador de Maringá por produzir e publicar Fake News.
 
Em novo recurso impetrado no Superior Tribunal Federal (STF), o parlamentar sofreu nova derrota, tendo seu recurso negado pelo Ministro Dias Toffoli. Com mais essa derrota, evidencia-se ainda mais os atos do deputado de propagar Fake News nas redes sociais, injuriando e procurando difamar profissionais da imprensa onde em todas as instâncias da justiça seus falaciosos recursos e peticionamentos tem sido reiteradamente negados, e por muitas vezes o parlamentar tem sido repreendido e até multado pelos tribunais.
 
O deputado tem tentado censurar veículos de comunicação e jornalistas impetrando diversas ações na justiça, o que o parlamentar precisa ser lembrado é que o mesmo pelo cargo público que ocupa diante da sociedade, é acompanhado pelos meios de comunicação, que noticiam e emitem opinião quanto ao seu trabalho quando ainda vereador e agora como deputado. O simples fato do parlamentar não concordar com a opinião contrária a sua conduta como homem público o faz se enveredar pelas escusas estradas das "redes sociais" propagando mensagens mentirosas aos seus seguidores com o único objetivo de criar uma narrativa indutora a perseguição política daqueles que o parlamentar toma por algozes; Porém no estado democrático de direito o poder judiciário tem negado suas mentirosas pretensões em ações por ele impetradas, e em outras que foram impetradas pelas vítimas das suas mentirosas e difamatórias publicações preservando assim a liberdade de imprensa constitucional. 
 
SE HOUVER MENTIRA, A GENTE VAI DESCOBRIR!
A redação entrou em contato com assessoria do parlamentar, mas sem contato efetivo sobre o assunto. 


Visualize o arquivo de texto:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM