TECNOLOGIA

Novas TVs híbridas da Samsung podem acabar com a tecnologia OLED



A Samsung prepara uma nova tecnologia de tela de TV que combina a imagem imaculada do OLED com as propriedades de aumento de brilho e cor dos pontos quânticos do QLED. A nova tecnologia híbrida é chamada QD-OLED.

De acordo com informações da BusinessKorea, protótipos da tecnologia de última geração já estão sendo compartilhados com empresas como Sony e Panasonic, assim como a Samsung Electronics. Isso indica que os novos painéis podem começar a aparecer em televisões já a partir de 2021.

A Samsung Display desenvolve e fabrica a tecnologia de tela usada em produtos Samsung, bem como em qualquer outro dispositivo que use telas da empresa - de smartwatches a TVs. É a mesma abordagem da LG, com a LG Electronics usando a tecnologia de exibição da LG Display, que fornece painéis OLED para smartphones Apple e TVs Sony.


Nos últimos dois anos, a Samsung teve muita divulgação por suas novas e inovadoras tecnologias de display, desde o aprimoramento de pontos quânticos em suas TVs QLED até o microLED da TV The Wall, frequentemente demonstrado, mas nunca realmente disponibilizado. Porém, relatos recentes da indústria sugerem que a Samsung está fazendo uma grande aposta no QD-OLED, investindo mais de US$ 10 bilhões em pesquisa e desenvolvimento e fabricação da tecnologia no ano passado. A SamMobile afirma que, atualmente, a empresa está convertendo inteiramente uma de suas fábricas na Coreia do Sul de LCD para QD-OLED.

O objetivo da tecnologia híbrida é oferecer todos os benefícios das telas OLED enquanto aproveita a cor forte e o brilho fornecidos pelos pontos quânticos. O resultado é uma tela melhor e possivelmente mais barata de fabricar, tornando-se uma tela premium mais acessível. Isso seria uma grande vantagem para a Samsung, já que muitos clientes acreditam que TVs OLED estão superfaturadas, mesmo em aparelhos topo de linha.

Como Funciona:


A tecnologia junta o melhor do OLED e do QLED em um único lugar. Imagem: Samsung Display Company

Combinar OLED e pontos quânticos não é tão simples quando adicionar uma camada em cima de um OLED existente. Em vez disso, a tecnologia usa OLED para lidar com os aspectos de luz azul da tela RGB e pontos quânticos para emitir vermelho e verde, convertendo o azul básico em outras cores necessárias para criar uma imagem colorida.

Em teoria, isso reduz o custo de fabricação de OLED - com uma base menos complexa e menos camadas, reduzindo as despesas com material e a dificuldade de fabricação. Segundo a análise da Display Supply Chain, os custos cairiam de US$ 94,91 por metro quadrado do OLED tradicional para US$ 26,03 para os componentes do QD-OLED.

Essa mudança resultaria em aumento dos lucros para a Samsung e diminuição dos preços para o consumidor final, mas tudo depende de conseguir a tecnologia certa e ajustar o processo de fabricação para criar um produto de qualidade. Considerando que a Samsung já compartilha seus protótipos com outras empresas, é de se esperar que haja progresso em ambas as frentes.

Via: Tom's Guide




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



TECNOLOGIA  |  27/10/2020 - 06h





TECNOLOGIA  |  26/10/2020 - 14h


TECNOLOGIA  |  25/10/2020 - 10h