GERAL

Motoristas de van e aplicativos protocolam denúncia contra Agentes de Trânsito



Dois agentes são acusados de ameaças e até agressão física contra motoristas. A denúncia é baseada em depoimentos, fotos e vídeos reunidos por empresários do ramo de transporte intermunicipal e motoristas de aplicativos. Eles alegam que dois agentes de trânsito são responsáveis por multas indevidas, assédio, ameaças e até agressões contra os motoristas. Jacqueline Cardoso, que assina a denúncia, tem uma van de transporte registrada em Marialva e com autorização do DER (Departamento de Estradas e Rodagens) para fazer traslado de passageiros entre os dois municípios. Ela descreve episódios em que os agentes da SEMOB (que estão identificados na ocorrência registrada hoje) perseguem o veículo.

"Eles fazem o que a gente chama de escolta, ficam atrás do seu carro a uma distância intimidadora, fecham e tentam bloquear a passagem, num desses episódios quase tiraram meu carro da pista, mesmo estando com passageiros. Eles colocaram a vida da gente em risco", disse.

Numa dessas abordagens um dos agentes começou a gritar e bater palmas enquanto os passageiros desembarcavam. "Ele dizia aos gritos que a gente é irregular. O que revolta é que o responsável pela fiscalização do transporte de passageiros da minha van é o DER, não é o agente de trânsito." Uma outra empresária, também de Marialva, que não quer se identificar, foi perseguida pelo agente enquanto trafegava pela Avenida Colombo, mesmo sem estar levando passageiros. Antônio Carlos, motorista de aplicativo, reforça as denúncias: "Qualquer motorista que parar na rodoviária ou no aeroporto pode ser multado sem a menor justificativa. E quase sempre somos ameaçados por esses dois agentes.

Eles mantém relação de amizade com taxistas e já foram flagrados dentro dos boxes exclusivos para taxistas em várias ocasiões." Os motoristas pedem o afastamento, investigação e, em caso de comprovadas as denúncias, exoneração dos dois agentes em questão. No dossiê montado e entregue à SEMOB constam vídeos, fotos e multas irregulares emitidas por eles. Numa delas (foto 1) o agente multou o motorista por não parar na faixa de pedestre. No entanto, o veículo, rastreado por satélite não estava no local alegado no momento da multa.

"Somos trabalhadores, não estamos infringindo a Lei, só queremos tratamento justo", completa Jacqueline. Consultada pela reportagem, a Prefeitura de Maringá disse que só vai se manifestar depois que tiver acesso aos documentos protocolados pela denúncia. 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM