GERAL

Médico é espancado por familiar que ia numa festa em Toledo
O caso ocorreu no primeiro dia de lockdown no Paraná; a esposa também foi vítima




Foto: Reprodução/Instagram

Um médico infectologista foi agredido por um parente na sexta-feira (26/02), na cidade de Toledo/PR; José Eduardo Mainart Panini, de 31 anos, tinha alertado um familiar sobre os riscos da Covid-19, que de acordo com o profissional, estava a caminho de uma festa.

"Fomos tentar falar que era errado, que ele não deveria ir à balada e colocar em risco a saúde de ninguém, e ele já partiu para cima de mim. Até que chegou um amigo dele, que estava no carro o esperando, me segurou no chão, me deu um mata-leão, apertando muito meu pescoço", contou José Eduardo; segundo o mesmo, o agressor mora com idosos (categoria populacional que faz parte do grupo de risco). O médico também informou que a esposa também foi golpeada com um soco ao tentar defende-lo.

"Dói, mas sinto que estou do lado que zela pela vida", disse o profissional, que atua na Prefeitura Municipal de Toledo, no Consórcio Intermunicipal de Saúde Costa Oeste do Paraná (Ciscopar) e no Hospital Doutor Campagnolo. O caso ocorreu no mesmo dia que o governador do Paraná, Carlos "Ratinho Jr." Massa (PSD), estabeleceu regras mais rígidas para contar o avanço da epidemia do Coronavirus no estado.

A esposa de José Eduardo registou um boletim de ocorrência no mesmo dia; o médico prestou depoimento somente na segunda-feira (01/03), teve o exame de corpo de delito marcado para o dia seguinte (02/03). “É chata toda situação, mas penso que depois disso vou ter ainda mais ânimo para trabalhar porque está cheio de pessoas assim e elas precisam entender que estão erradas", declarou o médico; a Polícia Civil está investigando o crime.

"Salientamos que o conselho repudia qualquer ato de violência e se tratando do atual momento de pandemia, a qual servidores atuam incansavelmente para salvar vidas aqui em Toledo, assim como no mundo todo, atos desse tipo apontam total desrespeito com o próximo e só trazem prejuízos a todos que estão na luta para que isto um dia vire apenas história", declarou o Conselho Municipal de Saúde de Toledo, em um nota de repudio sobre o caso, exigindo a punição dos agressores.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM