DIVERSÃO

Falcão e o Soldado Invernal | 5 HQs para ler antes da estreia da série

Falção e o Soldado Invernal, a nova série do Disney+ do Universo Cinematográfico da Marvel estreia nesta sexta-feira (19). Desde o fim de Vingadores: Ultimato quando Steve Rogers (Chris Evans) passou o escudo para Sam Wilson (Anthony Mackie). A produção vai mostrar uma nova etapa para Sam e Bucky Barnes (Sebastian Stan) em um mundo sem o Capitão América. 

Antes da estreia confira cinco HQs que você precisa ler antes de assistindo Falção e Soldado Invernal. Confira abaixo:

A CHEGADA DO FALCÃO + VENCEDORES E PERDEDORES (1969/1983)

Não é segredo que o Falcão fez sua estreia na HQ do Capitão América. Escrita por Stan Lee com arte de Gene Colan, a edição 117 da revista mostrou o herói trocando de corpo com o Caveira Vermelha e sendo enviado para uma ilha para ser caçado por velhos inimigos do vilão. Ele então é salvo pelo misterioso Sam Wilson e seu falcão de estimação chamado Asa Vermelha. No corpo de seu maior inimigo, Steve Rogers incentiva o novo amigo a vestir um uniforme e assumir uma identidade secreta para proteger e inspirar o povo da ilha no combate aos malfeitores da região.

Esse foi o início da carreira heróica de Sam Wilson, que se tornou o Falcão e passou a atuar como parceiro do Capitão América no combate ao crime. Essa saga em três partes lançou o herói no Universo Marvel, onde seguiu presente nas HQs do próprio Capitão e dos Vingadores até ganhar uma HQ solo em 1983. Escrita por Christopher Priest - que na época assinava como Jim Owsley -, a minissérie em quatro partes dá uma boa dimensão sobre a importância da figura de Sam Wilson. O roteiro desenvolve tanto a parte super-heróica do Falcão, que precisa combater vilões fantasiados e até uma Sentinela anti-mutante, quanto a dedicação em cuidar de sua comunidade no Harlem, onde trabalha ativamente como assistente social para ajudar a população.

Tanto a primeira aparição do Falcão quanto sua primeira HQ solo foram publicadas no Brasil pela Salvat na edição 19 da coleção “Os Heróis Mais Poderosos da Marvel”.

IMPÉRIO SECRETO (1974)

Criado durante a Segunda Guerra Mundial, é fato que o Capitão América já nasceu como um reflexo do mundo real. Essa característica passou também para seu parceiro Falcão, que estreou na época em que o movimento pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos ganhou força. Sendo assim, não é de se espantar que a dupla tenha protagonizado o Império Secreto, saga que respondeu ao caso de Watergate, um escândalo de corrupção que acabou com a renúncia do então presidente Richard Nixon.

Na HQ, Steve abandona sua bandeira após descobrir uma grande conspiração que, ao que tudo indica, era comandada pelo próprio presidente dos Estados Unidos. Desiludido com a pátria, Rogers deixa o manto de Capitão América. Histórica por si só, essa história é importante também para os fãs de Sam Wilson, já que nela ele questiona seu papel como herói e até dá um salto importante: ganha asas com a ajuda do Pantera Negra. Além de dar ao herói a habilidade de voo que se tornou tão característica, Império Secreto mostra a seriedade com que Sam encara o dever e a responsabilidade de ser um herói.

Capitão América e Falcão: Império Secreto foi publicado pela editora Salvat.

O HOMEM QUE COMPROU A AMÉRICA (2008)


Bucky Barnes nasceu junto com o Capitão América nas páginas de Captain América #1 - antes mesmo de a Marvel se chamar Marvel -, mas, ao contrário de seu colega, não teve a sorte de ser congelado e reintroduzido nesse universo povoado por Quarteto Fantástico, Homem-Aranha e Vingadores. Mais de 60 anos após sua criação, Barnes foi oficialmente resgatado como Soldado Invernal no início da excelente fase do roteirista Ed Brubaker na HQ do Capitão.

Ainda que todo o período de Brubaker seja altamente recomendado, a indicação da vez é a saga O Homem que Comprou a América. Nela, acompanhamos Bucky Barnes, já com suas memórias recuperadas, assumindo o manto do Capitão América depois do assassinato de Steve Rogers ao fim da saga Guerra Civil. Além de mostrar como o ex-Soldado Invernal lida com o peso de vestir o manto de seu amigo, essa HQ é importante por mostrar a primeira interação entre Bucky e Sam Wilson, que unem forças em uma investigação para livrar Sharon Carter do Caveira Vermelha.

Capitão América: O Homem que Comprou a América foi publicada no Brasil pela Panini.

SOLDADO INVERNAL: O INVERNO MAIS LONGO (2012)


Após o retorno de Steve Rogers - já que nos quadrinhos pouca gente morre definitivamente -, Bucky devolveu o traje de Capitão América ao amigo e voltou a ser o Soldado Invernal. Nesse período, ele ganhou seu primeiro quadrinho solo, também escrito por Ed Brubaker. Na HQ, o vigilante junta forças com a Viúva Negra para rastrear e salvar ex-agentes russos adormecidos que ele mesmo treinou e estão sendo sequestrados por uma figura misteriosa.

A trama de O Inverno Mais Longo pode soar familiar, considerando que o Soldado Invernal já rastreou alguns de seus ex-aprendizes congelados no filme Capitão América: Guerra Civil. Além dessa semelhança, a HQ garante seu lugar na lista por se tratar de uma trama de espionagem cheia de suspense e ação, que coloca Bucky Barnes para confrontar seu próprio passado, tema que se fará muito presente na jornada do personagem em Falcão e o Soldado Invernal.

Soldado Invernal: O Inverno Mais Longo foi publicada no Brasil pela Panini.

CAPITÃO AMÉRICA: SAM WILSON (2015)


No ano em que completou 45 anos de existência, Sam Wilson recebeu a missão de vestir o manto do Capitão América após Steve Rogers perder o Soro do Supersoldado que o mantém jovem. Quando recebeu o escudo, o herói estrelou duas HQs, sendo a segunda a mais emblemática de seu período como Capitão América. Escrita por Nick Spencer, Captain America: Sam Wilson se mostra uma HQ madura que desde o início retoma a tradição de usar a HQ do Capitão para refletir sobre questões do mundo real.

Infelizmente, a escalação de Sam Wilson como Capitão América gerou controvérsia por parte dos leitores que - abertamente ou não - rejeitaram a ideia de um homem negro assumindo o escudo. Spencer utilizou essa polêmica em sua história, que mostra o herói lutando com ameaças como Hidra e Filhos da Serpente, enquanto lida com com difamação e até campanhas para que “devolva o escudo”. Como se não bastasse, a trama ainda toca diretamente em problemas como racismo sistêmico e violência policial em uma fase que aborda problemas sociais usando o Universo Marvel como metáfora.

Além de ser uma história bem escrita e com mensagens bem claras, a HQ é uma forte indicação por reunir elementos de Falcão e o Soldado Invernal. Além de mostrar Sam Wilson lidando com o peso do legado do Capitão América, essa fase ainda tem a participação de personagens como Barão Zemo e Agente Americano, já confirmados na série do Disney+.

Capitão América: Sam Wilson foi publicada no Brasil pela Panini.

 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



DIVERSÃO  |   13/05/2021 12h45


DIVERSÃO  |   13/05/2021 12h05


DIVERSÃO  |   13/05/2021 04h45