REGIÃO

Mandaguaçu adere a consórcio para compra de vacinas

A câmara de vereadores de Mandaguaçu aprovou e a prefeitura do município já sancionou a lei para compra de vacinas da Covid-19. A lei autoriza o município a participar, juntamente com outras cidades, do consórcio para aquisição de doses de vacina para imunização da população.

Segundo a prefeitura, ainda não há previsão para o início das compras, pois o município depende da autorização deste consórcio, assim como demais cidades também estão no aguardo. Mas, de acordo com o prefeito de Mandaguaçu, Maurício Aparecido da Silva, o município já tem uma verba exclusiva e destinada para aquisição das doses que acelerará a imunização dos mandaguaçuenses.

A cidade de aproximadamente 35 mil habitantes, já registrou 18 mortes por complicações com a Covid-19 desde o início da pandemia e vacinou cerca de 1.200 pessoas até o momento contra a doença, dentro do Plano de Vacinação.

Consórcio de vacinas

O presidente da Amusep (Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense), prefeito de Ângulo, Rogério Aparecido Bernardo, encaminhou ofício ao presidente do Consórcio Intergestores Paraná Saúde, prefeito de Marilândia do Sul, Aquiles Takeda Filho, onde solicita um estudo para que o órgão concentre as importações de vacinas contra a Covid-19 a serem adquiridas pelos municípios paranaenses. “O Consórcio, que reúne 398 das 399 cidades do Paraná, tem maior poder de negociação, além da experiência na logística; do recebimento, armazenamento, à distribuição de medicamentos”, destaca Bernardo.

A compra dos imunizantes pelo Consórcio supre, também, de acordo com o presidente da Amusep, a dificuldade de grande parte das prefeituras paranaenses de acessar o mercado internacional. “A maioria dos municípios é de pequeno porte, sem estrutura e conhecimento para atuar no comércio exterior”, ressalta. Outra vantagem de se agir em bloco é a redução nos custos da operação de trazer as doses para o Paraná.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM