TECNOLOGIA

Microsoft fornecerá fones de ouvido de realidade aumentada ao Exército dos EUA

A Microsoft anunciou na última quarta-feira (31) que venceu uma licitação para vender ao Exército dos EUA fones de ouvido de realidade aumentada (RA) baseados em seu HoloLens e que usarão ainda serviços de cloud computing da Azure. O contrato de fornecimento pode atingir US$ 21,8 bilhões em 10 anos.

Nos últimos dois anos, a Microsoft trabalhou com o Exército na fase de prototipagem do que de um projeto chamado de "Sistema Integrado de Aumento Visual" (IVAS). Ontem, a empresa afirmou que o Exército havia entrado na fase de produção do projeto. Além disso, os fones de ouvido serão fabricados nos Estados Unidos, segundo um porta-voz da empresa de Redmond.



Como o dispositivo funcionará

No blog oficial da Microsoft, o brasileiro Alex Kipman explicou que o IVAS oferecerá uma plataforma que manterá os soldados mais seguros e os tornará mais eficazes.

"O programa oferece maior consciência situacional, permitindo o compartilhamento de informações e a tomada de decisões em uma variedade de cenários. A Microsoft trabalhou em estreita colaboração com o Exército dos EUA nos últimos dois anos e, juntos, fomos os pioneiros no "Design Centrado no Soldado" para permitir a prototipagem rápida de um produto para fornecer aos soldados as ferramentas e recursos necessários para cumprir sua missão.

Agradecemos a parceria com o Exército dos Estados Unidos e somos gratos por sua confiança contínua na transição do IVAS de prototipagem rápida para campo rápido. Esperamos construir esta parceria de sucesso com os homens e mulheres da Força de Combate Próximo do Exército dos EUA".


Protestos e JEDI

Em 2018, a Microsoft anunciou um contrato de US$ 480 milhões com Exército norte-americano para fornecer protótipos de headsets de RA. Na época, pelo menos 94 trabalhadores solicitaram à empresa que cancelasse o negócio e parasse de desenvolver “toda e qualquer tecnologia de armas”.

Também nesta quarta-feira, esse mesmo grupo de trabalhadores afirmou no Twitter : "Preferíamos muito mais que a Microsoft usasse o dia de hoje para defender os transgêneros em todos os lugares no Dia da Visibilidade dos Transgêneros, em vez de construir armas de guerra."

​No ano passado, a Microsoft também estava prestes a ganhar o contrato de computação em nuvem JEDI no valor de US$ 10 bilhões com o Pentágono. No entanto, a licitação continua em disputa, já que a Amazon Web Services contesta judicialmente a decisão da concorrência, alegando interferência política do então presidente Donald Trump. Em fevereiro último, funcionários do Pentágono disseram aos legisladores dos EUA que o Departamento de Defesa pode descartar o contrato se a disputa permanecer nos tribunais.

Com informações do Official Microsoft Blog

Fonte: Reuters  
 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM